Escolha uma Página
Descrição da imagem: Foto da Letícia Schwartz, sentada, fotografada por trás, no palco. Na frente dela, de frente para a foto, sentados nas cadeiras do teatro,  os participantes do encontro se concentram na fala. Foto: Gabriel Carpes

Descrição da imagem: Foto da Letícia Schwartz (Mil Palavras) e Patrícia (Teatro Hebraica), sentadas, fotografadas por trás, no palco. Na frente delas, de frente para a foto, sentados nas cadeiras do teatro, os participantes do encontro se concentram na fala. Foto: Gabriel Carpes

A criação do Cortinas Abertas pareceu fácil, de tão fluida que foi. A ideia surgiu com o proposito do Diversidade na Rua de gerar inclusão às pessoas com deficiência através de ações colaborativas. A raiz do processo foi o mapeamento de influenciadores da rede, que logo levou a equipe do Diversidade à Letícia Schwartz, do Mil Palavras, empresa de acessibilidade cultural. Conectados no TransLAB, convocamos reuniões abertas pra formatar um curso de teatro pra pessoas com deficiência visual, que no dia 2 de agosto teve seu (lindo) início.

O Diversidade é um projeto da Mercur e tem sua equipe dividida entre Santa Cruz do Sul e Porto Alegre. Em POA a equipe reside junto do TransLAB, por isso a co-criação ocorreu no laboratório. Nosso desejo sempre foi de “colocar o bloco na rua”; sabíamos que o Cortinas só aconteceria se fizéssemos acontecer – e foi!

Foi mesmo, e foi ótimo… E não teria sido se não fosse o Mil Palavras, que tem na formação junto com a Letícia, o Gabriel Schmitt. A nossa vontade imensa de prototipar algo foi bem facilitada pelas conexões deles durante os trabalhos com audiodescrições e outros (vários) envolvimentos. Desde dezembro um pedaço dessa rede aconteceu nos sábados de manhã na Duplan e queremos que continue acontecendo, porque sabemos a diferença que fez.

A construção que fizemos foi tão recompensadora para todos que ninguém se abalou por não acontecer um espetáculo no fechamento. O caminho agora é pensar em quaisquer escolhas melhores que podemos fazer, guiados pelos acertos e ganhos a que chegamos. Agradecemos aos parceiros que fizeram parte dessa criação, Teatro Hebraica, Estúdio 12, Tecttum e TransLAB.

Confere algumas fotos do primeiro encontro tiradas pelo Gabriel Carpes, que também merece um muito obrigado!