Escolha uma Página

No final do mês de maio (29 e 30) o TransLAB teve a satisfação de receber Daniela Bousso em Porto Alegre para um workshop sobre Arte e Dispositivos de Transformação. A proposta era bastante ousada: conciliar teoria e prática em dois dias de trabalho intenso com momentos de inspiração, problematização e criação. Além do banho de referências, a turma adentrou em terrenos conceituais densos, com autores de calibre como Giorgio Agamben, Michel Foucault e Walter Benjamin. A apresentação não linear dos artistas, em uma perspectiva genealógica, enfatizou as diferentes linguagens e processos, que se misturam, repetem e transformam ao longo da história.

O caldo teórico e as inspirações foram insumo para disparar o processo de problematização, no qual Dani Bousso foi orientadora e crítica precisa. O desafio de encontrar um problema criativo para desenvolver algo em um dia de produção exigia uma orientação lúcida ao que seria suficientemente intenso e possivelmente realizável. A união entre conteúdo e forma foi conduzida atentamente pela curadora.

Créditos da foto: TransLAB

Créditos da foto: TransLAB

 

O entendimento de “dispositivo” gerou grande empoderamento por parte dos participantes, que desenvolveram suas experimentações com profunda conexão de sentido e afetação, gerando trabalhos com grande potencial de transformação do autor e do público, na relação com a obra. O entendimento do artista como um produtor de dispositivos que podem iluminar cantos obscuros do contemporâneo, gerando novos processo de subjetivação, portanto novos sujeitos, confere ao autor da obra um sentido de existência e uma responsabilidade muito grande. Daniela Bousso conduziu o workshop fortalecendo os participantes em seu poder criativo, potencializando suas capacidades de gerarem dispositivos poéticos de afetação (de si e do outro). O bom humor, a irreverência, com simplicidade e objetividade crítica da curadora Daniela Bousso contribuíram para que a turma criasse uma boa condição de trabalho e colocar toda sua capacidade no desenvolvimento criativo.
A satisfação da turma ao final do processo mobilizou a proposta de um próximo módulo do workshop em que se avançará na mesma linha temática, dando ênfase ao processo de alguns artistas e conduzindo um novo processo de inpiração, problematização e criação em direção aos nossos dispositivos de transformação. Se você tem interesse em fazer parte*, escreva para oi@translab.cc com sua vontade, em breve teremos as datas certas.

*Não é necessário ter feito o módulo 01 para participar do próximo.

Daniela Bousso é Historiadora, crítica e curadora de arte contemporânea e novas mídias. Foi diretora do Paço das Artes (1997-2011) e do Museu da Imagem e do Som (MIS) (2007-2011) de São Paulo, responsável em 2007 pelo reposicionamento da instituição. Graduou-se em Artes Plásticas pela FAAP em 1980 com doutoramento em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP, quando publicou a tese “Metacorpos: a trajetória da subjetividade ao longo de um século” (2006). Foi curadora de dezenas de exposições, como “Interconnect @ between attention and immersion” (ZKM, Karlsruhe, Alemanha, 2006) e “Pipilotti Rist” (Paço das Artes e MIS, 2009). Recebeu dois prêmios Apca: curadoria revelação (1992) e melhor programação – Paço das Artes (2004).

Confere mais alguns dos registros do workshop:

IMG_6342

IMG_6330

IMG_6329