Escolha uma Página

Para fazer reviver a escadaria do Morro Ricaldone e incentivar o cultivo de hortas caseiras, o Raiz Urbana e o Passagem com Arte se juntaram para realizar no último dia 22 a oficina “Manjericão de Estimação”.

Praticamente esquecida pelas autoridades, a escadaria, localizada entre os bairros Floresta e Moinhos de Vento, virou um local escuro, sujo e perigoso. Nem mesmo o cercamento realizado em 2008 parece ter resolvido o problema. Ana Goelzer, moradora da região, brinca: “Sou uma das poucas que não tem medo de passar por aqui à noite”. Para ela, faltava uma mobilização da comunidade para revitalizar o local.

É com esse objetivo que o Passagem com Arte realizou pela segunda vez uma atividade no local. O grupo pretende dar vida a pequenas passagens, becos e escadarias mal cuidadas. “A gente busca revitalizar, mas num conceito diferente do aplicado tradicionalmente. Queremos revitalizar com gente, ocupando e interagindo com esses espaços”, conta Airam Gibson, membro da equipe.

Com o objetivo de desenvolver hortas urbanas em Porto Alegre, o Raiz Urbana participou da ação no Morro Ricaldone promovendo uma oficina baseada na troca de experiências. “Queremos incentivar as pessoas a produzir alimentos no menor espaço que seja”, conta Aline Bueno, uma das integrantes do grupo. “Essa foi nossa primeira experiência com o público e a interação foi muito legal. É importante resgatar essa cultura do mais velho passar o conhecimento para o mais jovem, reviver essa cultura oral”, completa Daniela Payeras.

Estudantes de Agronomia foram os oficineiros da tarde. “A ideia é convidar gente de várias áreas, abrir para todas as ideias”, conta Daniela. Além de dicas sobre como montar vasos e sementeiras com o que se tem em casa e sobre o manuseio com a horta, os palestrantes esclareceram dúvidas e viram o próprio público contar suas experiências. A atividade encerrou com a parte prática, que Daniela ressalta ser fundamental: “é aí que se vê que não é um bicho de sete cabeças!”.